Buscar
  • Time Smarkets

Como a Smarkets Inteligência de Negócios já economizou R$ 1bi em compras para seus clientes

Ser o maior marketplace B2B do mercado de compras no Brasil é a meta da Smarkets Inteligência de Negócios, startup liderada por duas jovens e experientes empreendedoras. Em cinco anos, a CEO, Mônica Granzo, e a CSO, Mary Albuquerque, projetam a empresa como o principal motor de compras das grandes organizações.


A jornada em busca desta meta arrojada começou em 2014, quando Mônica Granzo identificou uma dor das grandes empresas, que era de encontrar bons fornecedores no mercado e ter um menor custo de transação. Um gap que ela observou durante sua atuação como consultora e gestora do setor de compras em diversas corporações, especialmente na área da saúde.


“Os departamentos de compras das organizações enfrentam dificuldades para pesquisar e encontrar os melhores fornecedores de produtos e serviços com qualidade e preço justo. Além disso, as buscas demandam conhecimento de mercado, compliance e muito tempo investido”, diz Mônica.

Startup investe em tecnologia, compliance e novos processos


Foi então que a executiva decidiu abrir a Smarkets Inteligência de Negócios, a primeira startup brasileira a oferecer soluções de BPO (Req to Pay – da solicitação ao pagamento) automatizadas, colaborativas e integradas aos gigantescos ERPs do mercado. Além de ser pioneira na aplicação do conceito smarket steps e-procurement.


Foi preciso investir em muita tecnologia envolvendo inteligência artificial, além de novos conceitos de machine learning.


Entenda como funciona na prática


Na prática, o projeto funciona assim: a Smarkets reúne grandes organizações, de diversos segmentos e com demandas em comum, e negocia os melhores preços com os fornecedores, o que resulta em condições diferenciadas tanto para o vendedor como para o comprador por conta dos volumes transacionados.


Assim, todos se beneficiam com a redução de custos e horas despendidas no fluxo de compras. Gestão de fornecedores, processos gerenciais, atendimento, vendas, logística e entregas, tudo fica por conta da startup.


Além disso, a equipe trabalha com fornecedores homologados – as empresas interessadas em vender passam por uma curadoria para entrar na plataforma.


Aporte de Investimentos e Premiações


O resultado desse esforço já começou a aparecer. Em 2017, 2018 e 2019, a Smarkets foi premiada como a melhor empresa de BPO e eficiência em compras do Brasil, pelo Inbrasc – Live University, reconhecimento que se repetiu por três anos consecutivos. Além disso, em 2020, recebeu o Top 5 do 100 Open Startups, na categoria Marketplace, como a empresa mais admirada.


No começo de 2021 veio outro marco na história: a primeira rodada de investimentos com aporte recebido do UVC Investimentos, um dos maiores grupos econômicos do Brasil. A empresa entendeu o projeto da Smarkets e escolheu a startup para ser sua primeira investida.


Uma quantia importante que vai impulsionar uma série de projetos nas áreas de tecnologia, vendas, operação e marketing. Além de auxiliar na expansão dos canais de aproximação entre os players e fortalecer todo o ecossistema. E, com isso, alcançar a meta de 1,1 mil clientes B2B, o equivalente a 10% do mercado.


“A ideia é criar produtos, expandir a relação com fornecedores e, consequentemente, fortalecer o marketplace B2B e o efeito de rede construído pelo modelo de negócio da Smarkets”, explica Mônica Granzo.


A executiva comenta, ainda, que também pretender reduzir de maneira disruptiva os custos operacionais de transação de compras nas organizações a até R$1 real. Hoje, a Smarkets consegue operar um valor bem significativo de redução de custos de R$12,90.


Uma jornada árdua que vem trazendo resultados. “Desde a fundação, enfrentamos muitos desafios: a falta de recursos para a sustentabilidade do negócio, defender um modelo inovador, e especialmente, por sermos mulheres e jovens”, lembra Mônica.


Apesar de um ano difícil por conta da pandemia, em 2020, a CSO, Mary Albuquerque, mostra que a startup contabilizou um aumento de 70% do faturamento, fez 20 contratações e abriu novas vagas. Hoje, são 40 novas oportunidades de trabalho, pessoas se somarão aos 60 colaboradores atuais.


“Na Smarkets nós valorizamos iniciativas de inclusão racial, igualdade de gênero, contratação de LGBTQI+ e PCDs promovendo, dessa forma, uma cultura de diversidade”, complementa Mary.


Hoje, a Smarkets faz parte dos dois maiores e mais importantes ecossistemas que auxiliam neste processo, o Inovabra, do Bradesco, e o Cubo Itaú.

5 visualizações0 comentário